NOMEADO

Aldina Duarte

Aldina Duarte é reconhecida como uma das grandes vozes actuais do Fado, pela sua personalidade artística inconfundível e pela sua singular capacidade interpretativa. Tem uma intensa carreira de concertos nas principais salas de espetáculo portuguesas e em grandes festivais no país e no estrangeiro,  é fadista residente do elenco de uma das mais relevantes casas de Fado de Lisboa, o “Senhor Vinho”, com direção artística de Maria da Fé. A sua paixão pela Literatura leva-a a aliar ao repertório musical tradicional dos grandes fados estróficos tradicionais uma escolha cuidadosa dos poemas que canta, sendo ela própria autora de muitas das suas letras, bem como de outras cantadas por quase todos os fadistas da nova geração, fadistas como Camané, Carminho, Ana Moura ou António Zambujo. Em outubro de 2017, lançou “Quando Se Ama Loucamente”, um disco escrito e cantado pela própria, e um tributo à escritora Maria Gabriela Lansol cuja a digressão de 2018, levou a artista pelo país inteiro. A sua discografia inclui os álbuns “Apenas o amor” (2004), “Crua” (2006), “Mulheres Ao Espelho” (2008), “Contos de Fados” (2011),  “Romance(s)” (2015), um álbum duplo que incorpora um romance escrito em verso por Maria do Rosário Pedreira para as melodias do fado tradicional e uma banda sonora para a mesma história criada pelo produtor musical Pedro Gonçalves (Dead Combo), tendo sido considerado pela crítica nacional como o melhor disco do ano e merecido especial destaque por parte da revista “Songlines”, referência mundial no campo da imprensa musical especializada. Em 2019 lançou o mais recente disco, “Roubados”, obra onde Aldina cria as suas novas versões de originais por si “roubados” dando a sua própria e singular

NOMEAÇÕES