NOMEADO

Cristina Branco

Com uma paixão incomparável pelo fado tradicional, Cristina Branco presta uma sentida homenagem a este género musical tão emblemático da cultura portuguesa no seu muito aguardado 18º álbum de originais ‘Mãe’. ‘Mãe’ é uma criação musical única, na qual Cristina Branco empresta a sua voz singular e expressiva a uma variedade de autores, como tem sido a sua tradição artística. Em disco e ao vivo, Mãe oferece ao público um repertório original que nos transporta numa envolvente viagem de redescoberta do fado, explorando as suas profundezas emocionais e as suas nuances. ‘Senhora do Mar Redondo’, o primeiro single, é prova disso mesmo.

Em concerto, Cristina Branco conta talentoso trio com quem tem partilhado os discos e os palcos ao longo dos anos. Bernardo Couto na guitarra portuguesa, Luís Figueiredo no piano e Bernardo Moreira no contrabaixo são os parceiros musicais que dão vida a este trabalho, contribuindo para a sua sonoridade rica e envolvente.

Com um total de 26 anos de carreira, 17 álbuns lançados e inúmeros concertos por todo o mundo, Cristina Branco é uma infatigável embaixadora da cultura e da língua portuguesa. A música tradicional é a sua principal raiz estética, mas a influencia do Jazz, da literatura e dos músicos com quem partilha o palco, imprimem à sua música um cariz universal e um encanto sublime.
Inicia o seu percurso artístico na Holanda com ‘Cristina Branco in Holland’ (1997), álbum que acaba por transformar-se num verdadeiro sucesso naquele país. Nos anos seguintes o seu nome ressoa por toda a Europa, com datas esgotadas em inúmeras cidades. Os seus trabalhos seguintes, ‘Murmúrios’ (1998) e ‘Post-Scriptum’ (2000) reforçam este bom momento e Cristina é galardoada com dois Prix Choc pela revista Le Monde de La Musique.
Seguem-se ‘Abril’ (2007), um álbum com versões de canções de José Afonso, ‘Kronos’ (2009) e ‘Fado Tango’ (2011), o icónico décimo álbum de estúdio, que apresenta colaborações com varinos autores portugueses de renome e que prenuncia o renascimento artístico de Cristina, que chegaria alguns anos mais tarde com ‘Menina’.
Considerado o Melhor Disco do Ano pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), ‘Menina’ (2016) é o primeiro capítulo de uma trilogia que inclui ‘Branco’ (2018) e ‘Eva’ (2020). Nestas obras, Cristina Branco reúne colaborações invulgares, que cruzam estilos e géneros, resultando em interpretações únicas e inovadoras do fado.

Em 2022 – ao celebrar o seu 25º aniversário de carreira – Cristina contou com mais de 50 concertos por toda a Europa e lançou ‘Amoras numa Tarde de Outono’, álbum em colaboração com o pianista João Paulo Esteves da Silva.

NOMEAÇÕES

Melhor Álbum Fado